Posts| Comments|Pátio Gospel Notícias atualizadas

Papa João Paulo II era subornado por sacerdote para encobrir pedofilia, revela livro

Posted on 7 de nov de 2012 and filed under ,

Marcial Maciel (1929-2008) gastava somas milionárias em presentes e doações aos hierarcas da Igreja Católica, começando pelo papa João Paulo II. Desta maneira, o fundador dos Legionários de Cristo acumulava poder para o fortalecimento de sua ordem, ao mesmo tempo em que se protegia das acusações de pedofilia. Em seu livro Las finanzas secretas de la Iglesia ["As finanças secretas da Igreja"], que logo estará em circulação, o jornalista americano Jason Berry detalha como o sacerdote subornava até o Papa.


Segundo o livro, em 1995 Maciel entregou um milhão de dólares para João Paulo II, que chegava a presidir missas particulares – em sua capela no Palácio Apostólico – para os abastados amigos de Maciel, que costumavam recompensar o pontífice com donativos de até 50 mil dólares.

Vendo o enorme poder que tinha Maciel, durante o pontificado de Wojtyla, o atual papa Bento XVI, então encarregado da Congregação para a Doutrina da Fé, dizia que "não era prudente” investigá-lo por seus atos de pedofilia, que então já eram conhecidos em todo o mundo.

O livro do jornalista Berry relata uma das entregas de dinheiro para João Paulo II. “Em 1995, segundo ex-integrantes da Legião, Maciel enviou um milhão de dólares para o papa João Paulo, por meio de dom Stanislaw Dziwisz, quando o papa viajou à Polônia. Como secretário papal, Dziwisz, oriundo da Polônia, durante décadas foi o homem mais próximo de João Paulo. Lidar com dinheiro fazia parte de seu trabalho”.

Não apenas o papa e seu secretário recebiam dinheiro em espécie, pois também “os cardeais e os bispos, que presidiam missas para os Legionários, recebiam pagamentos de 2.500 dólares ou mais, de acordo com a importância do evento”.

"Tratava-se de donativos ou de subornos?" Esta pergunta é feita no livro. Alguns ex-sacerdotes legionários respondem que era “uma forma elegante de subornar”. Outros, ao contrário, destacam que era opere de charitá (obra de caridade), já que a Igreja podia destinar esse dinheiro para ajudar os pobres e necessitados, coisa que não se sabe ao certo, dada a opacidade das finanças vaticanas.


História


Apesar da sua aparente vida de conformidade com os ditames da Igreja Católica, Maciel teve uma vida dupla. Foi criminalmente condenado nos EUA por manter relações sexuais com rapazes menores. Além disso sabe-se que teve pelo menos um filho, que era consumidor habitual de drogas e que plagiou algumas das suas mais importantes obras. Tudo isto foi reconhecido pelos Legionários de Cristo na sua página de Internet após uma investigação. O Papa Bento XVI afastou-o das suas funções sacerdotais e aconselhou-lhe uma vida de oração e penitência pelos pecados cometidos. Ao fim de sua vida, no ano de 2008, Maciel morreu recusando os sacramentos da Igreja Católica, ao lado de sua mulher e filha.

Paulopes|Pátio Gospel Noticias

0 Comentários

Exponha sua opinião

Sua opinião é bem vinda, seja ela qual for (desde que não use palavrões). Vai fazer propaganda? Acesse a página de publicidade.

troca de banners link e divulgao de sites site gratis Bolsa de Valores Bovespa Ibovespa

Conversas no Pátio

Últimas

Anúncio